Aedes aegypti: 10 fatos que você precisa saber sobre o Aedes Aegypti

10 fatos que você precisa saber sobre o Aedes Aegypti


1 – De origem egípcia, o mosquito Aedes aegypti espalhou-se para outros continentes no século 16, por meio de navios que traficavam escravos.

2 – O Brasil erradicou o Aedes aegypti que na época causava a febre amarela, em 1955.

3 – Porém, ele reapareceu no final da década de 1960 e, atualmente, está presente em todo o território brasileiro.

4 – A fêmea é a responsável por picar as pessoas e transmitir a dengue, a febre chikungunya, febre amarela e o zika vírus; estima-se que ela pique uma pessoa a cada três dias.

5 – É preciso água parada para que os ovos do Aedes aegypti eclodam, formem larva e depois transformem em mosquito adulto.

6 – O ovo do Aedes aegypti só é eliminado quando a pessoa lava o criadouro com uma esponja e joga essa água no solo de terra ou em chão acimentado, para o líquido evaporar rapidamente. Caso contrário, quando a água atingir esse ovo, a larva vai eclodir, mesmo que seja um ovo “velho”. O ovo do mosquito pode resistir por até um ano e, quando em contato com água novamente, em 10 minutos ele eclode, forma a larva e depois vira mosquito transmissor das doenças.

7 – O Aedes aegypti prefere depositar seus ovos em locais sombreados, como caixas d'água e pneus. As larvas não gostam de luz.

8 – O mosquito vive no máximo 30 dias e a fêmea consegue depositar até mil ovos.

9 – Os mosquitos machos não picam humanos e se alimentam de soluções açucaradas vegetais, como néctar e seiva; as fêmeas também gostam dessas soluções, mas precisam do sangue humano pra poder gerar os filhotes.

10 – As pessoas não sentem a picada do Aedes aegypti porque a saliva do mosquito carrega um anestésico que anula a sensibilidade.

Foto: A/D - Arquivo OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página
Somente um médico pode diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis aqui em OpenBrasil.org possuem apenas caráter educativo.